topo

Segundo dia do Seminário Internacional de Mobilidade Urbana traz a São José importantes palestrantes internacionais 05 de novembro de 2014

 
Giovana Spera, arquiteta da Universidade Pontifícia Boliviana - UPB de Medellín, foi a primeira a se apresentar e abordou o tema “El Plan de Ordenamento Territorial e Los Proyectos de Medellín”. Ela pontuou iniciativas de planejamento utilizadas na cidade de Medellín e mostrou  como ocupar diversos tipos de espaços da melhor forma possível. Giovana ilustrou a palestra com fotos dos espaços como eram antes da intervenção e como ficaram depois dela. A especialista falou também sobre a concepção e importância dos espaços públicos, uma vez que hoje a tendência é viver em lugares fechados e seguros, e mostrou os benefícios da cooperação existente entre a iniciativa pública e privada, trabalhando em harmonia e valorizando sempre a população.
 
 
Germán Madrid, que se apresentou pelo segundo ano consecutivo no Seminário, abordou a “Mobilidade pedestre sustentável, com uma visão integradora do espaço público como uma infraestrutura da cidade”.
 
Ele é consultor e educador sobre pré-fabricados de concreto em pavimentos e design e construção de espaços públicos, citando como os arquietos e construtoras precisam começar a pensar mais neste tema.
 
“A estratégia dos espaços públicos precisa considerar basicamente a durabilidade, estabilidade, segurança, cumprimento das normas universais de acessibilidade, integração entre vegetação, tráfico veicular, serviços públicos e mobilidade”, afirmou.
 
Durante a terceira palestra do dia, Luiz Gustavo O. Barreto se apresentou substituindo Alexandre Sansão Fontes e abordou o tema “A experiência do BRT no Rio de Janeiro”.
 
Ele mostrou a BRT Transcarioca, que conta atualmente com 30km de extensão, 50 estações e terminais e 140 ônibus articulados em operação, a Transolímpica e a Transoeste, que ainda está em construção. Mostrou também a Transbrasil, que leva até a Avenida Brasil o fluxo de outras cidades da região.
 
“O transporte de alta capacidade implantado no Rio conta com um centro operacional de primeiro mundo com monitoramento total e comunicação em tempo real, minimizando prejuízo dos usuários e possibilitando mais conforto. Assim temos um ganho de velocidade e de demanda”, afirmou.
 
 
Em seguida foi a vez de Warner Vonk se apresentar e conquistar a plateia com o tema “Planejamento Cicloviário Participativo”. Ele é engenheiro civil pela Universidade de Twente (Holanda) e fundador da IFluxo, empresa Carioca que presta consultoria na área de transporte para prefeituras e empresas de transporte público.
 
“No Rio de Janeiro, o projeto foi planejado avaliando todas as necessidades de usuários e moradores. Utilizamos as redes dos próprios usuários e as vantagens de ser participativo são inúmeras como: estabelecer projetos adequados para situações específicas, facilidade na aprovação política, otimização do tempo, menor desgaste político durante a execução, dentre muitos outros”, contou.
 
Para finalizar o segundo dia de evento, Ana Carla Fonseca, referência em economia criativa, cidades e negócios, desenvolveu o tema “Cidades criativas e conexões urbanas”. Ela apresentou os pilares de uma cidade criativa e iniciativas para redescobrir as cidades com intervenções urbanas artísticas, transformando as mesmas em laboratórios de testes sensoriais.
 
Veja o vídeo abaixo:

 
 
 
Consulte mais fotos no Facebook Mobilidade Brasil - www.facebook.com/mobilidadebr

Comentar Publicação